Autor Tópico: Prancheta para papel.  (Lida 4297 vezes)

GLFaria

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 842
    • Ver Perfil
Re: Prancheta para papel.
« Responder #15 em: Terça, 01 de Novembro, 2016, 23:02:54 pm »
...
Em qualquer dos casos, sempre que se usem ferramentas "barulhentas" (ou simplesmente quando se está exposto a ruídos, como no caso do tiro), não devemos dispensar a protecção auricular: a perda de audição é irreversível.   ???

A quem o diz!!!
A perda de audição por trauma sonoro é realmente irreversível e, o que é pior, uma vez iniciada é progressiva. O grande problema é que não se dá por isso até ser tarde demais - quando começa a parecer que estamos a ouvir um pouco pior o mal já está feito.
Fui instrutor de tiro numas tropas especiais onde se davam muitos tiros - estávamos na época da guerra em África, era preciso treinar muita gente e depressa. Agora imaginem, nos meses mais activos, ouvir diariamente 2.000-3.000 tiros de G3, durante semanas - sem protecção auditiva, claro, não as havia que chegassem. Quanto a usá-las no mato... digamos que não era prático, tínhamos de ouvir bem ;) - mas quando os tiroteios começam havia bastante chinfrim...

Tudo isso, mais algumas imprudências que não vale a pena relatar, e por volta dos 30 anos, quando finalmente consultei um otorrinolaringologista porque achava que não estava a ouvir tão bem como dantes, ele disse-me logo que só ia piorar e que não havia solução médica para este tipo de lesão. Para agravar, seguiram-se mais 25 anos a trabalhar numa fábrica bastante barulhenta...

Aviso já os potenciais interessados - os aparelhos auditivos são estúpidamente caros, e ainda por cima não resolvem tudo (já tive três pares ao longo dos últimos trinta anos, e estou em vias de me fazer ao quarto...)

Protejam-se

Stromlinie

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 479
    • Ver Perfil
    • Multisubjects, Lda.
Re: Prancheta para papel.
« Responder #16 em: Terça, 01 de Novembro, 2016, 23:29:24 pm »
Aviso já os potenciais interessados - os aparelhos auditivos são estúpidamente caros, e ainda por cima não resolvem tudo (já tive três pares ao longo dos últimos trinta anos, e estou em vias de me fazer ao quarto...)

Protejam-se

Obrigado por corroborar a minha opinião, através de um exemplo prático, infelizmente muito pessoal. Eu quando trabalhava no sector florestal, ouvia dizer que os moto-serrista não gostavam de usar as protecções auriculares porque... não ouviam a moto-serra  :P

Felizmente que estas protecções já não têm um preço proibitivo.

Boa bricolage, em segrança,

Stromlinie

GLFaria

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 842
    • Ver Perfil
Re: Prancheta para papel.
« Responder #17 em: Terça, 01 de Novembro, 2016, 23:39:36 pm »
É verdade.
As primeiras que comprei, salvo erro em1973, custaram, se bem me lembro, 800 escudos! E 800 escudos naquela época não é bem o mesmo que 4 euros actualmente! (se bem se lembro, a conversão do escudo para o euro foi a cerca de 200 escudos para 1 euro. Ainda me lembro da primeira vez que a minha mulher e eu gastámos 500 escudos nas compras do mês no supermercado, em 1974 - ou seja, seriam 2,50 euros se os preços e a moeda fossem os mesmos. Ficámos "banzados"!

pajo

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1383
    • Ver Perfil
Re: Prancheta para papel.
« Responder #18 em: Quarta, 02 de Novembro, 2016, 00:51:34 am »
Eu que o diga.
Os anos de catrapilos com lagartas a guinchar nos ouvidos o dia inteiro (16h dia), fizeram alguma mossa nos meus ouvidos.
Mas à 25-30 anos isso era um luxo, acessorio de estetica.
A 1° maquina com que começei a trabalhar a serio (komatsu D50A-15) tiham-lhe tirado o silencioso do escape para pareçer mais potente :-\.
Hoje em dia evito locais demasiado silenciosos para não ouvir os zenidos dos ouvidos.
Se não sabes? -não mexas!
Se não gostas? -não estragues!
Mas isso, NÃO TINHA PIADA NENHUMA!!!