Autor Tópico: Serrotes de costas Disston&Sons nº4 8" e 12".  (Lida 1016 vezes)

AlexB

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 114
    • Ver Perfil
Serrotes de costas Disston&Sons nº4 8" e 12".
« em: Segunda, 18 de Fevereiro, 2019, 02:38:31 am »
Por vezes a vida prega-nos partidas muito boas.
Um dos meus maiores desgostos na minha curta carreira de marcenaria amadora é o facto do meu avô, muito provavelmente a fonte da minha paixão pelas ferramentas e trabalhos manuais, não ter vivido o suficiente para ver os meus trabalhos em madeira.
Ele não tenha nenhuma profissão ligada à marcenaria mas como todos os homens do seu tempo, tinha e gostava das suas ferramentas e fazia honra de se desenrrascar muito bem em qualquer trabalho que fosse necessário em casa. Desde a simples lâmpada até colocar um vidro na janela que tinha sido partido com uma bolada, fazer um portão para a casa dos meus pais ou até esculpir uns garfos enormes em madeira para a minha avó fazer filhoses.
No fim-de-semana passado, fui a casa dos meus avós fazer a partilha do conteúdo com os meus primos e como eles sabem que eu gosto de ferramentas já lá tinha um caixote cheio das ferramentas do meu avô. Eu pensava que eram essencialmente chaves de fendas, de porcas, alicates, etc. Sabia que havia por lá umas limas e umas grosas e também sabia que havia um serrote enorme que ele usava para cortar lenha para a lareira. Qual foi a minha surpresa quando vejo dois serrotes de costas, que apesar de estarem todos ferrugentos, dava para perceber que eram serrotes de marcenaria e com pinta de serem dos bons, daqueles com medalhões e tudo ;D.

Quando cheguei a casa fui logo ver a marca dos mesmos.
Disston & Sons.
Após uma curta busca na net descobri que esta foi a primeira empresa a fabricar serrotes de alta qualidade nos EUA, fruto de ter sido a primeira a produzir o seu próprio aço. Como existem muitos serrotes desta marca, eles são relativamente comuns nos ebay e afins. No entanto são bastante apreciados e alguns mais antigos chegam mesmo a passar dos 500 dolares e são considerados serrotes com muita qualidade.

Os meus serrotes são serrotes de costas modelo Disston nº4, um de 8" polegadas (dovetail saw) e outro de 12" polegadas (Tenon saw). E pelo medalhão, dá para identifica-los como sendo da altura da primeira grande guerra.
Infelizmente esqueci-me de tirar fotografias a ambos antes de iniciar a sua recuperação mas fica aqui uma onde o "tenon" está quase como vinha. O outro vinha obviamente no mesmo estado.


O propósito da minha intervenção não é dar um aspecto de novo aos serrotes, mas apenas devolvê-los a um estado em que possam ser usados som comprometer a qualidade e acima deixar intacta a sua história.

Hoje consegui mais um tempinho à tarde e praticamente acabei o mais pequeno e já avancei bastante o maior.
-Em relação às pegas, não queria uma abordagem muito intrusiva. Limpei apenas a patine superficial com um esfregão palha-de-aço fina e WD-40. Adorei o resultado.
-Os medalhões e parafusos foram limpos com uma escova de latão na furadora vertical e acabados com lixa fina.
-Em relação à lâmina atalhei em relação ao que costumo fazer. Normalmente, nas ferramentas metálicas a primeira coisa que faço é limpá-las com um líquido próprio para tirar ferrugem e só depois passar às lixas  e polimentos. Como não tinha cá em casa esse líquido e nem podia sair de casa por causa das minhas filhas, "arranquei" a ferrugem toda com lixa. Claro que isto ainda não está acabado porque a lixa não chega aos poros, portanto assim que tiver o líquido ainda irei lá meter as lâminas. Também não separei a lâmina das costas porque estava tão presa e tão direitinha, que não arrisquei estragar. Apenas dei uma aguada de óleo WD-40 para dentro das costas e siga.
-Em relação aos dentes, foram afiados de novo logo no dia dessa primeira foto e ele ficou a cortar muito bem. Mas com a intervenção de hoje, a trava ("kerf" em Inglês) foi praticamente à vida. Assim que tiver tempo irei tratar disso. Mas no dia da primeira intervenção já deu para perceber que serrava muito bem. Nos primeiros dentes afiei-os com um ângulo menos agressivo e depois fui aumentando à medida que me aproximava da pega. Ficou com um arranque muito fácil mas rápido e limpo.
Tudo isto é para o serrote mais pequeno. O maior ainda não foi afiado e a lâmina e parafusos ainda vão levar uns toques.

Só como nota adicional e comparando-o com o serrote que tinha feito neste tópico http://forum.bricolagetotal.com/ferramentas/serrote-de-costas-para-malhetes-caseiro-('dovetail-saw')/ há alguns aspecto que saltam logo à vista.
-São bem mais pesados, à custa principalmente das costas destes que é dez vezes mais robusta e rígida.
-A lâmina tem a mesma espessura mas é muito muito mais rígida. Aqui vê-se claramente que o aço nestes serrotes é outra loiça.
-A pega é mais estreita, mas maior. Já estava habituado à grossura da outra mas esta não compromete e a habituação foi rápida. O tamanho maior faz com que esta escaixe melhor na minha mão. O ângulo também é ligeiramente mais horizontal mas nesse aspecto não notei diferença nenhuma a serrar.
No geral, embora o outro já me permitisse fazer uns malhetes sem comprometer, este pela sua superior rigidez parece mais uma extensão do nosso braço. Gosto muito mais.

Agora as fotos do aspecto actual.








Foi das melhores surpresas que me lembro de ter tido. Sempre quis ter uns serrotes de malhetes com qualidade mas são tão caros e com o pouco tempo que actualmente tenho, é daquelas coisas que estava sempre a ser adiada. Finalmente tenho dois serrotes que me agradam bastante a com grande felicidade  de me terem sido dados pelo meu avô :).
« Última modificação: Segunda, 18 de Fevereiro, 2019, 03:30:55 am por AlexB »

pajo

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1400
    • Ver Perfil
Re: Serrotes de costas Disston&Sons nº4 8" e 12".
« Responder #1 em: Segunda, 18 de Fevereiro, 2019, 14:37:21 pm »
Amigo, isso foi quase como um Euromilhões.
Sei perfeitamente do que fala ;D, também tenho a minha quota parte de ferramenta do meu avô(um velho martelo) e garanto que de cada vez que olho para ele sou capaz de me lembrar de uma história (mais do tipo traquinice), da minha infância.
Se não sabes? -não mexas!
Se não gostas? -não estragues!
Mas isso, NÃO TINHA PIADA NENHUMA!!!

GLFaria

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 849
    • Ver Perfil
Re: Serrotes de costas Disston&Sons nº4 8" e 12".
« Responder #2 em: Segunda, 04 de Março, 2019, 03:51:07 am »
Bom dia a todos!
Sim, ainda estou vivo. Mas como, por diversas circunstâncias, não pude dispor do meu "cubículo" para trabalhar nos últimos dois anos, não tenho tido nada para dizer, e falar por falar é bom para políticos, forma de passar o tempo (notem que não digo "trabalho") que nunca me atraiu. Estou a reconstruir a minha bancada de trabalho, se assim lhe posso chamar, incluindo fazer um torno "de perna", um tampo, etc. - mas em regime "soft", porque a geometria do local mudou bastante, com implicações na arrumação das ferramentas, o espaço para trabalhar é pouco, e limpar tudo todos os dias dá muito trabalho. E quanto mais septuagenário estou mais preguiçoso...

Em consequência, só de vez em quando dou uma olhadela no fórum, que aliás não tem estado muito animado. E só agora vi isto.
Só posso fazer dois comentários:
1- Sortudo!!! Muitos parabéns, é material muito bom.
2- Agora vai ter de aprender a afiar serrotes, e arranjar o (pouco) equipamento necessário para isso ( a menos que também tenha vindo no "pacote" - limas, alicate de dar trava, e torno para segurar a folha). Mas quando se trata de ferramentas dessa qualidade vale a pena. Há alguns sites bons na net. Tudo em inglês, obviamente, mas se estiver interessado posso pôr um ou dois aqui., parece-me que guardei os links.

Conhece isto: http://www.disstonianinstitute.com/ ? É muito interessante.



AlexB

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 114
    • Ver Perfil
Re: Serrotes de costas Disston&Sons nº4 8" e 12".
« Responder #3 em: Segunda, 04 de Março, 2019, 16:02:58 pm »
Pajo, não terá sido bem o euromilhões mas olhe que a alegria não deve ter andado longe, por todos os motivos.

GLFaria, obrigado pela partilha do site. Só tomei conhecimento do mesmo à umas semanas atrás, quando recebi os serrotes, mas acho que já o devorei duma ponta a outra.
Em relação a afiar serrotes a minha esposa já nem pode ouvir falar em videos sobre o tema. Apesar de já os ter visto à uns tempos atrás, revi imensos na ultima semana. Este fim de semana acabei a restauração do serrote pequeno e também já o afiei.

Aliás, esta foi a fase mais morosa do processo.

-Alinhei os dentes com uma lima. Tive apenas uma dúvida. No arranque do serrote há 2 ou 3 dentes muito pequenos que praticamente não existem. Isto é possivel remediar limando os topos muito mais até estes ficarem com a altura dos outros. O problema é que iria retirar uns bons 2 ou 3 milímetros à lâmina que já de si não é muito larga. Resolvi abdicar destes dentes, alinhando o suficiente para todos os outros ficarem alinhados e experimentar. Se não resultasse iria desbastar o resto até apanhar os dentes todos.

-Afiei os dentes com uma lima triangular pequena( na realidade é de 6 lados). Já tinha experimentado num outro serrote criar um pequeno apetrecho em madeira para meter na ponta da lima ao estilo do da varitas para ajudar nos ângulos, mas depois de várias experimentações, consegui melhores resultados segurando apenas com as mãos. Ao contrário do meu outro serrote onde usei dois TPIs diferentes, um de cerca de 20 no arranque e o resto a 15, para este usei apenas 15TPIs por achar quase impossivel afiar a 20 TPIs. O que fiz, foi nos dentes de arranque meter um ângulo mais suave na face de ataque dos dentes e depois ir subindo até aos 90º. Ficou óptimo e arranca muito bem sem custo.

Acertei a trava ou kerf. Aqui é que a porca torceu o rabo e deu-me um trabalhão até encontar um método que me satisfizesse. Como não tenho alicate para o efeito usei o método do Paul Sellers de punção e martelo. Usei um prego de betão grande que tem o aço muito duro e limei um pouco a ponta para criar uma face plana um pouco mais pequena que os dentes. Depois acentei a lâmina numa tábua de pinho plana e fui martelando. No fim, tal como o Paul Sellers aconselha, com um martelo, retirei um pouco a trava. O serrote ficou a funcionar mas a trava ficou inconsistente e mordia um pouco a madeira. Passei uma tarde inteira a afinar a trava dente a dente com uma lupa e aos poucos ficou muito melhor. No fim, fiz o truque que o Tom Lie Nielsen usa num video sobre afiar serrotes que é experimentar e consoante o lado para onde o corte tende a "tombar", passar uma pedra de afiar desse lado dos dentes para afinar a trava e ficar simetrica.
Fiquei muito contente com o resultado final mas demorou mesmo muito tempo.

Fica um video com o primeiro testdrive já depois de afinado e a fotografia a comprovar o resultado. Queria seguir a linha, mas mandendo-a do lado esquerdo do corte, como faço nos malhetes. Ficou perfeito. E dá para perceber que depois de alinhar o corte foi só serrar e o corte não se desviou um milímetro ;D

https://www.youtube.com/watch?v=4qMW9T2MH3A




E por fim uma imagem do serrote acabado e um pormenor do medalhão onde se pode confirmar a idade.





Tenho no entanto uma dúvida. Vi num video, um tipo no final da restauração a passar todo o serrote, metal incluido com cêra para madeira. Ele diz, que ao contrário dos óleos protectores a cêra não evapora e também protege a ferrugem, nomeadamente nos medalhões, que não estão em contacto com nada. Alguém me sabe dizer se isto faz sentido? Obrigado.
« Última modificação: Segunda, 04 de Março, 2019, 23:42:04 pm por AlexB »

GLFaria

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 849
    • Ver Perfil
Re: Serrotes de costas Disston&Sons nº4 8" e 12".
« Responder #4 em: Segunda, 04 de Março, 2019, 20:55:37 pm »
(Quote):
Tenho no entanto uma dúvida. Vi num video, um tipo no final da restauração a passar todo o serrote, metal incluido com cêra para madeira. Ele diz, que ao contrário dos óleos protectores a cêra não evapora e também protege a ferrugem, nomeadamente nos medalhões, que não estão em contacto com nada. Alguém me sabe dizer se isto faz sentido?"
(Unquote)

Do que se faz na prática da marcenaria sei pouco. Mas tenho alguma prática da metalomecânica - e aí ninguém usaria esse "método". Suponho que se trata de conservação. O principal problema é - não se sabe que aditivos é que foram incluídos nessa "cera", e que efeitos a longo prazo podem ter no metal.
O que sugiro (e faço) é: se se trata de armazenamento a longo prazo, limpar bem o metal, eliminando todo os restos de outros produtos, e proteger com vaselina neutra (a que é utilizada para proteger os terminais das baterias -vaselina neutra industrial - é suficiente, mas em pe

GLFaria

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 849
    • Ver Perfil
Re: Serrotes de costas Disston&Sons nº4 8" e 12".
« Responder #5 em: Segunda, 04 de Março, 2019, 21:40:50 pm »
Maldito teclado!... Continuando:
...em pequena quantidade até pode utilizar a vaselina medicinal (mais cara) que se vende em bisnagas.
Há no comércio vernizes "para proteger metais". Nunca experimentei, a simples ideia de envernizar uma ferramenta, especialmente se for boa, repugna-me.

Se o serrote for utilizado com alguma frequência, basta limpar os dentes (uma escova de dentes resulta bem) para remover a serradura que lá esteja acumulada, limpar a folha, e usar um trapo com óleo na folha e nos dentes (uso lenços velhos (lavados...) embebidos em óleo "3 em 1", guardados dentro de uma latinha fechada); tenho óleos melhores, que nos velhos tempos utilizava em armas, mas o "3 em 1" que há por aí em todo o lado serve perfeitamente. É preciso é não esquecer de limpar a folha antes de usar - o rolo de papel de cozinha é o ideal.

Afiar um serrote com 20 TPI não é nada fácil, e exige experiência, especialmente se for para afiar "cross-cut" (desculpem lá, não me vou meter em traduções). Tenho um Veritas, que comprei propositadamente com 20 TPI "rip-cut", e arrepia-me a simples ideia de algum dia ter de o afiar.
Tenho um alicate de dar trava relativamente rústico, mas só o utilizo para um serrote Sandvik com 7 TPI que já tenho há muitos anos, e que modifiquei de "cross-cut" para "rip". Teria de comprar um muito melhor - e muito mais caro, se por acaso o conseguisse encontrar - para dar trava a um serrote com 20TPI.

Paul Sellers - aprecio-o bastante, embora nos últimos anos se tenha tornado cada vez mais filosófico e confuso; mas há que ver que muitas das soluções "simples " que ele propõe só são "simples" porque ele tem 50 ou mais anos de experiência profissional - não são tão simples assim para amadores com pouca prática.

Por último, alguns links que calculo já tenha encontrado, mas aqui vão à mesma:
http://norsewoodsmith.com/?q=content/sharpening-hand-saws
http://norsewoodsmith.com/?q=content/sharpening-continued
http://norsewoodsmith.com/?q=content/using-and-troubleshooting-saws

Tenho-os em PDF, mas não me lembro onde ou como os fui arranjar.


AlexB

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 114
    • Ver Perfil
Re: Serrotes de costas Disston&Sons nº4 8" e 12".
« Responder #6 em: Segunda, 04 de Março, 2019, 23:40:39 pm »
Muito obrigado pelas dicas GLFaria.
A questão da cêra está resolvida. Achei um pouco estranho mas nunca se sabe.
Eu já uso a famosa solução da lata do Paul Sellers com óleo 3 em 1. Quando estou numa fase em que trabalho com alguma regularidade a coisa até funciona, o problema é que com o nascimento das minhas filhas fico vários meses sem pegar nas ferramentas e aí os piquinhos de ferrugem não perdoam.
Em relação à vaselina sabe me dizer se se compra naquelas grandes lojas de bricolage tipo "Leroy"? Vou ver se encontro.

Em relação ao youtuber Paul Sellers concordo a 100% consigo e a solução dele com a trava dos dentes e um martelo é um exemplo perfeito. Nas mãos dele, aquilo ficou perfeito à primeira mas quando fui eu, é como já descrevi. Funciona mas ficou muito inconsistente e a morder a madeira. A solução que resultou lindamente foi a do Tom Lie Nielsen e que também é usada pelo Rob Cosman. Corrigir os desvios da trava experimentado e depois usar uma pedra de afiar no lado para onde o corte puxa.

Ele usa-a neste video para afinar um "crosscut" mas resulta igualmente num "ripcut". (minuto 8:50)
https://www.youtube.com/watch?v=tLzbTOPn5d8

Este é do Rob.(minuto 5:40)
https://www.youtube.com/watch?v=avnVz19d8GQ

Aquilo parecia magia. A cada corte a melhora era logo evidente até que ficou a cortar direitinho e suave.

GLFaria

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 849
    • Ver Perfil
Re: Serrotes de costas Disston&Sons nº4 8" e 12".
« Responder #7 em: Terça, 05 de Março, 2019, 01:09:21 am »
Sim, já os conhecia, mas obrigado por os lembrar. Pois, parece magia, e por isso é que é tão difícil para quem não está treinado. E quanto mais fina for a "dentadura"...

No Leroy costuma haver vaselina sólida e vaselina líquida. Em muitos outros sítios, incluindo a drogaria aqui do bairro, também há.
Nunca experimentei a líquida, tenho muito jeito para entornar coisas. A sólida resulta, mas pelo que me diz respeito tem dois contras - é mais maçadora de aplicar (não dá para pincelar), e no Inverno, com o frio, tenho a sensação que fica mais sólida. Aplico-a com os dedos ou com um trapo. Se experimentar a líquida por favor dê-me as suas impressões.

Para mim, a lata do P. Sellers não é muito prática - uso o trapo numa variedade de ferramentas, por isso uma solução desse tipo acaba por ser incómoda. Mas para ferramentas com superfícies mais ou menos planas é uma boa ideia. Além do trapo, também uso ocasionalmente uma trincha de pequena - entre 10 e 20 mm - com uma ou duas gotas de óleo. Muito fácil de aplicar e cobre bem as pequenas superfícies irregulares.